Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

O Papagaio

Era uma vez um senhor que foi visitar um amigo de longa data. O senhor amigo tinha um papagaio preso numa bonita gaiola que, ao se sentir acompanhado desatou aos berros, “liberdade, liberdade!” O senhor ficou transtornado com a cena mas por respeito ao amigo, manteve o silêncio. Uns dias mais tarde voltou a casa do amigo e o papagaio voltou a fazer exactamente a mesma coisa, gritou em plenos pulmões, “liberdade, liberdade!!”

O coitado do homem ficou novamente muito perturbado com o desespero do bicho! A angústia e a tristeza do papagaio não saíam da cabeça do bom senhor.
 
Um dia soube que o amigo ia viajar e arranjou maneira de entrar na casa dele à socapa. Lá dentro foi directo à gaiola do papagaio e abriu a porta para finalmente o bichinho sair e desfrutar de sua tão desejada Liberdade!
O papagaio ao ver a porta aberta agarrou-se às grades no fundo da gaiola com um ar aterrorizado e gritou atabalhoadamente: “Liberdade, liberdade…”
 
 
Somos todos muito papagaios… Queremos tanto a liberdade mas quantos de nós a vive quando ela surge? Da mesma maneira que todos queremos amar e ser amados, mas quantos de nós se entrega e vive esse Amor?!
 
sinto-me: Livre!
publicado por esferafeminina às 20:04

link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Anónimo a 11 de Setembro de 2009 às 23:08
Decidi seguir uma sugestão amiga... Deixar neste blog meia dúzia de palavras, que um dia resolveram atravessar-me o pensamento, em tom de partilha com os demais que o consultam, para que possam assim, talvez, aprender algo com as palavras essas. No entanto, desde já saliento que a minha pretensão, ao passar por aqui, não é nenhuma, muito menos a de ensinar. Quem sou eu para ensinar o que quer que seja a alguém? Até porque eu própria estou em constante processo de aprendizagem, o que por si só é deveras maravilhoso, não sentindo qualquer espécie de necessidade em afirmar-me perante terceiros. Aliás, se assim fosse nem estaria aqui... o ego não tem destas coisas ;) É engraçado, sinto-me bem aqui e até me rio... Sem esperar encontrei mais um bocadinho de felicidade... Só me posso rir e AGRADECER por mais uma oportunidade de me SENTIR assim, bem precioso este... Ao entrar, percebi de imediato que o propósito que aqui me trouxe, não seria levado a cabo... Talvez fosse esse o propósito da dita sugestão amiga... Seria?!... Não é relevante e se o for, certamente não o é para mim... Talvez o seja para alguém, talvez a verdadeira partilha seja esta, a da felicidade... Como seria bom um mundo assim, um mundo em que proporcionasse-mos ao próximo felicidade em tom de surpresa e da mesma forma a recebessemos... Fico à toa... Uma pausa... É tão simples que fico até sem palavras... (por isso agradeço, por isso não posso, não consigo guardar para mim este sentimento, que mais uma vez me inunda e transborda... transborda... transborda e não pára... apenas para a matéria... Não consigo, é forte demais o sentimento esse, que vive no meu coração, para não lhe dar a atenção que merece....... Trago uma novidade, fui apanhada na LUZ... Estou ainda como que um pouco adormecida... Em alfa, como lhe chamo por carolice, quando tou lerda :) Não vi nada... Aliás, se pensarmos bem, a luz cega, imobiliza, como quando de repente somos surpreendidos pelos faróis de um qualquer automóvel... A diferença é que aí, só queremos que a luz passe, na ansia de pudermos ver, de nos sentirmos seguros... Ver para crer, será?!... Senti agora, de uma forma bem real, o significado de "virar o foco para dentro"... Repito, nada vi, mas o que SENTI... espera ainda encontrar a sua tradução para palavras... Com tudo isto, perdi por completo o fio condutor que guiava meu raciocinio... Ou talvez tenha mesmo perdido o raciocinio, o da mente, o pensado... Então quem foi que escreveu?!... O coração, o sentimento... Não fiz a "chamada" lá pra cima, ainda não tenho rede suficiente para isso :), mas seguramente cheguei um pouquinho mais perto, mais perto de MIM... Bem, vou já a meio dos "caracteres" e para além de saber à partida, que o propósito que aqui me trouxe foi "morto" à chegada, não consegui sequer chegar à história do piupiu preso em si mesmo, nem ao porquê de ter escolhido esta "entrada" para deixar o meu propósito. Sinceramente a vontade também já não é muita... Não por preguiça, não por cansaço, não por ainda ter trabalho para concluir... Apenas porque me vai fazer pensar e ao pensar aniquilo o sentir... Anyway, dado que ainda me encontro no trabalho, a hora vai chegar que vou ter de "acordar", para fazer aquilo a que vulgo se chama "o ponto da situação". Assim sendo, e para que tudo isto tenha pelo menos pés, já que não teve cabeça :) vou tentar por aqui um pouco de razão. Como disse no início, vim ao blog para deixar umas palavras, na eventualidade de alguém as querer partilhar. Como para mim isso era algo especial, (afinal é a minha "premiere" :) ) antes de o fazer, tinha de escolher uma "entrada" que me "falasse". Por sorte foi logo a segunda, poupo-me tempo :) Então decidi que ia falar sobre a história do piupiu aprisionado. Como se diz em "bom português", identifiquei-me com ela. Segundo os tarólogos, astrólogos e outros que tais ;))) (sim, é... ;)* ), sou daqueles que mais prezam a liberdade, no entanto, muitas vezes não mo permito e desculpo-me com excesso de trabalho e coisas do género. Mas como também sou daqueles que muito prezam a verdade, tenho que admiti-la, quanto mais não seja, perante mim mesma e ao fazê-lo, vejo apenas que já não sei/tenho medo de viver. A conciência disso já tem barbas, cansei-me dela... Propus-me trocar a reacção pela ACÇÃO!
De Anónimo a 12 de Setembro de 2009 às 00:36
E não é que os caracteres não chegaram?!... Se calhar é um sinal, tipo "já te calavas" :) Serei eu? Será elefante? É que a formiga não escreve assim :)))
"Elefante", termo pseudo-carinhoso (ou não... inda temos de conversar isso mt a sério ;) ) que me foi atribuído por estas bandas. Será por eu não me "calar"?!... Uma gira, a semana passada, o meu pai deu-me um tesouro... Os relatórios da minha avaliação escolar na primária. Um must, adorei, adorei, adorei... Mais uma vez fui atinjida pela felicidade. Então dizia assim, na parte do comportamento: "Bom, mas muito conversadora" Eueeeeeeee?! Onde, quando a que horas?! :) Durante 4 anos o meu comportamento começava com "bom" e terminava com "conversadora", o adjectivo esse, enfim, lá ia variando de forma e de intensiadade, o que eu me ri... Percebo agora o porquê de ter passado os 3 últimos anos da primária na primeirissima mesa, em frente à professora (1 beijinho pra ela). E sempre com a mesma companhia, o RF (1 beijinho pra ele tb). Tinhamos (e temos) 10 dias de diferença, éramos os mais novos... Boas recordações essas... O que gostava de salientar é que a felicidade está realmente nas coisas mais simples da vida, assim a saibamos reconhecer. Está num gesto simpático de um estranho (onde o estranho, é isso cada vez ser mais raro), está ao entrarmos no carro e eis que ao ligar o rádio ouvimos a nossa música preferida, está em haver sempre um lugarzinho pó meu bólide. Tantas pequenas/grandes coisas, que podem contribuir para a nossa felicidade, é só sintonizarmos a nossa antena na frequência certa. Realmente quando estamos bem, é bem que atraímos :) E não há dia que passe, ainda que por vezes menos bom, que não tenha algo por que agradecer. E essa é a minha felicidade, ter sempre algo por que agradecer... Por isso, se houve algum corajoso/a (tirando a "patroa")teve a coragem de me acompanhar até aqui, apenas posso dizer que a nossa VIDA - Verdade Incondicional Da Alma - está mesmo nas nossas mãos e que ELA depende apenas e exclusivamente de nós... E enquanto disso não tomarmos, uma sentida e verdadeira, consciência... béu béu, néribi, nikles batatóides. Bem, tá na hora do Vitinho e o blog já pede óó :) Se por acaso ainda aqui morar alguém, que não seja sádico, é porque de algum modo gostou, se identificou, por isso é favor agradecer o facto de se ter cruzado com estas linhas. A mim não, que eu tenho mais que fazer, vou deixar a matéria usufruir da alma :) Sabeis bem a quem tendes de agradecer... Sim, à minha amiga também :), afinal foi ela que me ajudou a estar "aqui". Mas primeiramente agradeçei ao CÉU, independentemente, do nome que lhe dais. Mas é para agradecer mesmo!!! :) É só pela vossa felicidade, não custa assim tanto pois não?!... Quanto à minha amiga, agradeceis vós e agradeço eu, por tudo o que ela vos/me proporcionou. É uma rapariga gira, simpática e acima de tudo AMIGA!!! O seu nome é VERA XAVIER :))) A ela eu deixo um MUITO OBRIGADO!!! Por tudo e por este bocadinho, foi mesmo muito bom para mim... Um beijinho amigo e um xi a vibrar em AMOR.

A todos nós, muita paz, muita luz, muita força, protecção, firmeza, humildade e AMOR no CORAÇÃO. Que consigamos percorrer o nosso caminho da melhor forma possível...

PS: Um copy/paste, não seria natural em mim, pelo menos não hoje... Já são 00H32, já era hora de consultar aquela página do sapo... 2ª feira há mais :) bom fim de semana... :)*
De C!rano a 13 de Setembro de 2009 às 02:52
Olá "Anónima"..,

Agradeço-lhe pois as suas palavras,ainda que demorem mais tempo a digerir do que a ler.
Engraçado: a meio do(s) texto(s) senti-me cansado mas resisti (faço sempre questão de resistir) e no entanto,quando acabou,torci o nariz porque me apetecia mais.sei lá..,acho que também sou como o "piu-piu" enjaulado.
A verdade é que o desejo e o medo andam sempre de mãos dadas.quanto maior é um..,maior é o outro!por isso é mais facil desejar do que ter,e é mais fácil ter do que manter.

Eu tenho a idade da democracia (entenda-se por liberdade) em Portugal.sei que viver em sociedade é algo de complexo.são demasiados saberes.e conceitos.e preconceitos.é o garfo que tém um lado certo para estar na mesa.é a camisa que tém a época certa para ser usada.é o "sr: Doutor" que tém uma forma certa de ser tratado.enfim..,tudo tém uma forma certa de ser feito e todas as outras formas são erradas.
Ah! que saudade da casa do meu Avô em que os talheres eram despejados na mesa e as calças andavam sempre sujas de terra.não havia um doutor n'um raio de Kms e todas as formas de se tratar os outros eram simples e açucaradas.
Aqui (onde o chão é envenenado),percebo que a liberdade é uma utopia.tenho demasiadas escolhas a fazer para ser livre.demasiados horarios a cumprir.demasiadas pessoas para agradar.para proteger.
Ás vezes..,quando a cacimba se mistura com a noite..,sinto aquele cheiro a musgo no ar e quase que vejo os talheres espalhados na mesa do meu Avô.encho os pulmões daquela humidade refrescante e fico ali,a gozar o momento,porque sei que a brisa é breve e nem sempre se respira na minha prisão de cristal.

Um bem haja para si do C!rano

obs:normalmente reconheço a essência de uma pessoa ao fim de dezoito linhas..,tanto escreveu e fiquei sem saber de que é feita a sua alma.escreva mais...

De Anónimo a 14 de Setembro de 2009 às 04:26
Hello C!tano :)

Se digerir for sinónimo de "parar; pensar sobre; reflectir; despertar de consciência para", então aí fico contente :)

"Apetecia mais"...Cool ;) Não posso negar, que o ego dá o ar da sua graça, sentindo um pouco de vaidade - shame on me - :) Mas é muito bom, saber que alguém queria mais do que temos para dar... É sinal que gostou, que se sentiu bem.
Contribuir para o bem estar do outros e já por si só um bem estar também para mim. Por isso, também eu tenho de agradecer. Merci bien! Como se diz em dialecto "avec" :)
Haveis já parado, para pensar no porquê de o desejo e o medo serem eternos comparsas?!...
Apenas se deseja o que não se pode ter, e apenas não se tem, o que o medo não permite.
O que já temos, apesar de ter sido e continuando a ser desejado, já é nosso então não pensamos nisso, mas o que não temos... por vezes assombra-nos... Talvez porque o realmente nos assombra, é o medo que nos o impede de o obter... Ter consciência disso, foi para mim já um grande passo...
Passei a ter noção do que já perdi e do que puderei vir a perder, caso não passe a lidar com o medo de uma outra forma... E há apenas uma forma de lidar com o medo (com o perdão da má palavra :) )é "pegar o touro pelos cornos" (ups)
Calma, não tem de ser assim tão radical... :)

1º - Reconhecer o medo
2º - Perceber o porquê desse medo
3º - Perceber como nos influencia
4º - Tomar consciência das perdas que daí puderão advir
5º - Aplicar esse "conhecimento" a uma situação actual
6º - Pensar no que fariamos se o desejo viesse ao nosso encontro
7º - Constatarmos que teriamos reacções movidas pelo medo e que estas sim, não nos permitiriam alcançar o nosso desejo.

Fantástica a capacidade esta que temos de mandar o desejo/felicidade embora! Mais fantástico ainda, poder passar toda uma vida, sem disto ter noção... Isto é mt à frente... Grandes e emaranhados novelos de lã conseguimos ser... Como foi que viemos parar a isto?!...
Já vai sendo altura de mandar o medo dar uma volta ao bilhar grande, não?! Sei lá, digo eu... :)
Mas não é à tonta, cabeça no ar mas pezinho no chão. Não vá ser a "amendoa ser pior que o cimento" :)

A camisa também tem época certa para ser usada?!...
Já chegámos aí?!...

Compreendi e concordo com a mensagem, mas é fruto de todos nós ao longo de todos estes anos. Todos contribuimos para que as coisas sejam assim... Não é tema que me apeteça aprofundar agora...

"Tudo tem uma forma certa de ser feito e todas as outras formas são erradas."

Só não perceberia isso se fosse de Marte, mas hoje penso de forma ligeiramente diferente...

Tudo tem uma forma "acertada" (pelos homens) de ser feito e todas as outras formas são "naturais".

Como se sabe, exitem no nosso país (mundo até), muitas formas de fugir à lei e sem disso sofrer consequências...
Eu lá vou encontrando a minha... ;)
Não à lei, apenas à lei dos homens... Porque essa é castradora, não permite viver de acordo a verdade...
E não viver de acordo com a verdade, não é viver...

"Embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu."

(Tarefas)

Eu tenho demasiadas escolhas... eu tenho de isto, eu tenho de aquilo, eu, eu eu, (como diria a Magda, "Tudo eu, tudo eu" :) ), engraçado é, no meio de tanto eu, não vi sequer lugar para o "EU"... Pois... enquanto não houver "EU", é complicado...

"Só quando tivermos consciência da roda, podemos escolher sair dela, nunca antes"

Prisão de Cristal, será sinónimo de roda? Era bom que sim...

Bem, posso apenas desejar que as brisas se tornem cada vez menos breves, e a respiração essa seja cada vez mais forte, para que assim o bater do coração esteja cada vez mais VIVO!

Anónima ;)~

De C!rano a 15 de Setembro de 2009 às 03:29
Boa noite..,"anónima"

A sua forma de escrita começa-me a fascinar.é um "caos" autêntico de palavras que (não sei bem porquê) me fazem todo o sentido.vê-se que são despejadas no ecrã(gostaria de dizer papel) á velocidade do pensamento e contêem em si aquele brilho que só se vê no momento em que a luz do sol colide com a água.

O MEDO!!!!pois..,o medo!

O medo está em todo o lado.reina quase sem oposição e é o principal responsavel pela existência dos vivos-mortos de que falou.começa no bicho-papão,quando não queremos comer a sopa,e termina no tempo,quando nos recusamos a envelhecer.

Cá eu..,perdi muito respeito ao medo.não faz sentido dar-lhe demasiada importância.o seu opôsto também existe..,A ESPERANÇA! e sei que a sede que tenho não pertence a outra fonte.

Eu..,eu..,eu..,eu..!

Que fazer..,anónima..,se por vezes sinto que nada tenho para além do que sou?

Já O DESEJO..,esse..,nada tenho contra ele! arde na mais requintada paixão.abre friestas nos corações fortificados e transporta o calor que há muito não sentiam.
Tém apenas um senão..,diluí-se na nossa alma e será a nossa essência a ditar o seu reflexo social.

Por mim..,tudo bem! confio na minha essência.

Eu..,eu..,eu..eu...

ZZZzzzzzzzz

adormeci há dez minutos!

C!rano






























































































































































































































De fátima a 14 de Setembro de 2009 às 22:37
Existiu um dia

Existiu um dia,
Em que me tornei,
Maior que o mar,
Em que meios olhos todos os dias param,
Maior que todas as prisões,
Que qualquer ser humano conseguiu criar.

Existiu um dia,
Em que me criei pássaro de gaiola,
Existiu um dia,
Que minhas asas, jamais nessa jaula cabiam,
Que meu respirar já não o mesmo não era,
Que meu coração já pouco batia ou sequer sentia.

Existiu um dia,
Que por entre os batimentos do meu coração,
Quis-me livre,
Quis-me solta de tudo,
O que era amarras,
Não quis pertencer a outra pessoa,
Que não eu.

Eis-me aqui agora pássaro,
Sem gaiola,
Livre do ontem,
Buscando o vento que por minhas asas passa,
Que por minhas asas permanece,
Que em mim se encontra,
Que em mim não mais fica,
Nem para fazer estória ,
Ou para lembranças do passado deixar,
Pois pássaro sem gaiola é livre,
Até da liberdade,
Que por um dia suspirou no intervalo da chuva,
Que em dias de tempestade,
Impedem minhas asas de apenas terem,
O céu como limite.

Existiu um dia,
Em que me tornei maior,
Que qualquer mar,
Maior que todos os grãos de areia,
Que por entre meus dedos se perdem.

Fique bem,

Fátima
De Mena a 20 de Setembro de 2009 às 22:39
"liberdade" todos desejamos quando estamos perante situações dificeis.
Mas, há sempre um mas, "tabus" dos quais não conseguimos nos libertar.
Temos sempre o velho problema de pensar com a cabeça dos outros. Hã!!! o que será que vão pensar de nós.
Força, temos que crescer para a vida, deixar de preconceitos, fazer o que gostarmos mais.
E, que tal se começarmos por um simples "olá".,um sorriso sincero. libertar o nosso ser.

Comentar post

Quem sou eu

Desde sempre procurei respostas para as discrepâncias sociais e outras, existentes no mundo. Ainda continuo à procura, apesar de já ter uma vaguíssima ideia do que pode estar por detrás das aparentes desigualdades. Os Deuses não são injustos, o Universo tem uma Ordem que está para além do nosso entendimento. Tudo tem um sentido Maior. Os Deuses esperam-nos.

Acerca de mim

Vera Xavier
Taróloga desde 2002, trabalha como Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal, Reiki, Cura Quântica e Leitura da Alma. Ministra cursos de Meditação, Tarot e Reiki Magnificado.

Consultas & Cursos

Consultas de Tarot e Desenvolvimento Pessoal
Terapias de Reiki e Cura Quântica
Cursos de Reiki Magnificado e de Meditação (mensais) Rua Tomás Ribeiro, 45 - 7º, esquina com A. Fontes Pereira de Melo, Lumiar, Lisboa geral@veraxavier.pt Telefones: 931168496 www.veraxavier.com Vera Xavier

Cria o teu cartão de visita

Pesquisar neste blogue

 

Agenda de Cursos e outros Eventos

* Curso de Tarot (Lisboa)- 25 de setembro

* Curso de Tarot (Porto) - 27 de outubro

* Reiki Magnificado - 10 de novembro

* Reiki Magnificado II - Data a anunciar

* Workshop de Meditação 3 de novembro

Telm 931168496

veraxavier@veraxavier.com

Terapeutas Amigos

Cândida Loureiro - Terapia Quântica - SCIO
Contacto: 962 460 200

* São Figueiredo - Mestre de Reiki e Cura Quântica, Limpezas Energéticas e Alinhamento de Chakras, Telef: 919192918

Recomendo: Cursos

Nova Acropole
Curso de Filosofia do Oriente ao Ocidente A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações, em www.nova-acropole.pt

´ Centro Lusitano
O esoterismo de Fernando Pessoa
www.centrolusitano.org

Arquivos do blogue

Março 2015

Setembro 2012

Agosto 2012

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

blogs SAPO

subscrever feeds