Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

E se?

 

 

Há um exercício que se aprende em coaching muito interessante e digamos que muito elucidativo. Temos de imaginar que um Médico nos diz que temos uma doença grave e que tempos apenas 15 dias de vida. Temos de imaginar isto e fazer uma lista de coisas que queremos ainda fazer. Convido-vos a fazer uma destas listinhas.

Depois de feita, voltamos ao Médico e ele diz-nos que afinal, não é assim tão grave e que ainda temos 6 meses de vida. Refazemos a lista de “afazeres”, é possível que acrescentemos coisas, ou não. Façamos então esta nova lista.

Dias depois vamos ver como está o nosso caso grave e eis que temos outra boa notícia! Afinal vamos viver mais 10 anos! Temos mais tempo, temos mais hipóteses de fazer mais, de produzir mais, de fazer mais gente feliz, de dar mais abraços e dizer “Deixa lá!”

 

Temos consciência de quanto o tempo é importante e valorizamo-lo de forma nunca feita. Passamos a viver com outra intensidade, com outra energia, com outra leveza, relativizamos todas as questões, perdoamos muito mais; temos vontade de fazer coisas que antes nos pareciam doidas, mas que gostávamos tanto de fazer… o pudor e a educação castradora que nos deram nem sempre ajuda. Temos muito medo do ridículo, do parecer mal… penso que isso esteja a desaparecer aos poucos, mas este pudor talvez esteja a dar espaço ao extremo oposto: à leviandade e desconsideração… A tal crise de valores que tanto se fala, ou melhor, falou, porque agora só se fala na crise económica, e nem percebemos que o que está por detrás da crise financeira é a falta de valores morais.

 

Convido-vos a fazer esta reflexão que pode ser deveras profunda e esclarecedora daquilo que nós genuinamente queremos, amamos e desejamos. Convido-vos também, como sempre, a partilhar as vossas conclusões, porque através da visão dos outros as nossas perspectivas também se expandem. Mas temos de fazer este exercício com calma, de preferência em silencio… vão ver o quão curioso é.

sinto-me: a relativizar, a ponderar
publicado por esferafeminina às 13:03

link do post | comentar | favorito
32 comentários:
De eva a 15 de Abril de 2009 às 14:25
O tema faz lembrar a música de Paulinho Moska, "O Que Você Faria"... De facto, é um exercício bastante interessante... Já pensei nisso, mesmo sem saber grande coisa, felizmente sei com quem passaria esses dias... :)
De susana a 15 de Abril de 2009 às 15:42
De facto,já fiz "de leve" esse exercicío,e existem condicionamentos que são "largados"
No entanto,e se formos fiéis a nós proprios,no dia a dia reparamos que determinadas atitudes vão manter-se,foi essa a conclusão a que cheguei,porque elas são a marca da minha personalidade,da minha forma de ser,e de outra forma não me sentiria bem.

Su
De Fatima a 15 de Abril de 2009 às 17:07
Porque...

Porque um dia,
Em qualquer instante,
Do bater do meu coração,
Enquanto as folhas do Outono nele mudavam a cor,
Comecei a pensar,
Deixar tudo para trás,
Tudo o que não era verdadeiramente importante,
Tudo o que não acrescentava valor,
Em mim como pessoa,
Tudo o que não me tornava melhor,
A cada passo deixado na areia.

Porque um dia,
Em qualquer instante,
Do meu respirar,
A minha caminhada se alterou,
A minha loja onde comprar felicidade,
Passou a ter morada e número,
Passei a ser eu,
Passei a ser tudo,
Passei a ser nada,
Passei a ser um todo.

Porque um dia,
Em qualquer instante,
Do bater do meu coração,
Ele ameaçou suspender o tempo,
Suspender o meu mundo,
Minhas máscaras caíram,
Os ventos mudaram-me os objectivos de vida,
Minha bagagem de sobrevivência ficou mais leve,
Deixou de ter importância o que os outros pensavam de mim,
Passou a ter somente importância,
O que os outros representam em meu coração.

Porque um dia, um dia...
No momento da partida o teu coração,
Não deverá pesar mais que uma pena levada pela brisa da madrugada.
Porque um dia,
Chegarás à conclusão que O Se...,
É apenas não mais que o momento presente.

Fique bem,

Fátima
De esferafeminina a 15 de Abril de 2009 às 17:37
"Os ventos mudaram-me os objectivos de vida..." Mudaram mesmo, querida Fátima... Ainda nao sei bem para onde vou, mas vou... Sigo o vento, com resistencias sim, mas sigo-O.
De Fatima a 15 de Abril de 2009 às 23:03
Sábio é aquele que aceita/reconhece não saber para onde vai, pois quem não tem caminho, jamais se pode perder apenas se encontrar !
De esferafeminina a 16 de Abril de 2009 às 00:22
muito obrigada pela sua força, Fátima, pela sua presença.
De Sónia Margarida a 22 de Abril de 2009 às 22:22
"...quem não tem caminho, jamais se pode perder apenas se encontrar"

Será, Fátima???
Os que não têm caminho, são como os que não têm identidade, ou seja, não são ninguém .E jamais se conseguem encontrar!!!

Sinto-me desorientada...

Fique bem
Sónia
De Fatima a 22 de Abril de 2009 às 23:50
Olá Sónia!
Não ter caminhos não significa não saber quem é, não significa não saber que independentemente de tudo ,nunca somos ninguém mas sim muita coisa, algo muito valioso, dai o estarmos aqui, senão porque estaríamos por cá?

Não ter caminhos não significa andar constantemente a fugir de si mesma, aí sim nunca se chegará a encontrar, ai sim será um pouco difícil saber ler a bússola que há em si, em todos..é só procurar ela está lá.

Por curiosidade sempre que o ser humano pensa ter todas as respostas, vem a vida e muda as perguntas, os caminhos são sempre um imprevisto...ainda bem!!Senão seria uma seca saber onde todos os caminhos que traçamos vão dar, até um beco sem saída , tem várias saídas , voltar para trás, pular o muro...

Dai ou se acha a si própria, sabe o que quer, arregaça as mangas e vai á luta, ou de nada lhe servirá todos os caminhos que o Universo lhe colocará pela frente, pois sem si nunca irá a lugar algum, nenhum caminho será bom, nenhum lhe servirá para ser alguém, nenhum GPS será suficientemente bom, senão reconhecer que sempre foi e sempre será Alguém.

Fátima
De Sónia Margarida a 25 de Abril de 2009 às 22:33
Fátima, obrigada! Fiquei surpreendida com a resposta, não pensei que me fosse responder!
Acho que sou má interprete destas coisas da vida... Não sei interpretar os sinais, os caminhos que o Universo me propõe ?! Tenho tido tantos obstáculos no caminho para concluir um grande objectivo , e não o consigo concluir, mas também não quero desistir... Lutei tanto para o conseguir e agora quero concluir, "mas perco sempre as guerras".E isso anula-me como pessoa... Anula-me como parte integrante da sociedade! Sinto que estou perdida, só, abandonada... E que afinal de contas, depois de 30 décadas ... NAO SEI O QUE È VIVER...
Perdi alegria de viver, parece que me roubaram tudo, arrancaram do meu SER tudo de bom que ainda restava...
Ando a arrastar um objectivo que se transformou em fardo... Hoje nao sou a mesma que iniciou a caminhada... perdi a identidade!!!Já nao me sinto sequer...

Sónia

Fui piegas demais
De Fatima a 28 de Abril de 2009 às 11:54
Sónia quase sempre o ser humano é cego perante os sinais que o Universo lhe põe pela frente, estão lá, mas nossa mente não os deixa ver, pois as coisas realmente importantes apenas o coração consegue ver, e a maioria das vezes nós humanos não estamos sintonizados nessa frequência..depois bem depois lamentamo-nos pelas oportunidades perdidas.

Perca batalhas fazem parte do crescimento, mas tenha uma estratégia definida para no fim vencer a guerra.

Se o objectivo a que se propôs é carga pesada de mais para uma só viagem, divida a carga em várias viagens para que esse objectivo não se torne um fardo difícil de suportar e se transforme em fonte de dor em vez de prazer e realização.

Não concluir projectos os sonhos não deve ser desculpa para se anular como pessoa, e muito menos deixar que os outros lhe incutam essa sensação de anulação, não ter tentado sim seria fonte de preocupação e de derrota.

Portanto faça um exercício em cinco minutos, elabore uma lista de tudo o que quer realizar, outra de tudo o que a anula e entristece e depois, depois é só por mãos à obra, lembre-se começar de novo é sempre possível , sejam quais forem as situações, claro muito importante há que acreditar.

Fátima
De Sónia Margarida a 28 de Abril de 2009 às 22:15
Olá Fátima,
Se eu consegui chegar até aqui, com muito obstáculo que tive que ultrapassar é claro, mas se consegui... Só tenho é que ter fé e acreditar, pois falta muito pouco.

Fátima há palavras que não existem para descrever o que, ás vezes, sentimos. Neste momento a única palavra que encontro parecida com aquilo que sinto é: OBRIGADA!!! Obrigada plas palavras, pla energia que as suas palavras carregam... São revitalizantes...
Obrigada mais uma vez...
Tudo de bom

Sónia
De ANA a 17 de Maio de 2009 às 17:02
Ola Verinha,muito obrigado por ter tirado todos os comentarios tristes que uma senhora se lembrou de invadir este blog. eu de minha parte peço te desculpas de ter alimentado a sede dessa dita senhora mas nao consegui ficar impune com tudo o que ela disse a cerca de si e deste blog. Um bem haja para ti.... beijinhos para si que realmente é uma grande MULHER. BJS ANA
De esferafeminina a 17 de Maio de 2009 às 17:14
É de facto triste Ana, que as pessoas nao saibam parar. Nunca pensei ter de agir assim, porque respeito as diferenças de todos, mas tenho o direito de o fazer quando tentam adulterar o propósito deste espaço...
Obrigada Ana e nao perca mais tempo nem energia com este... assunto.
BOM DOMINGO
De Zira a 16 de Abril de 2009 às 16:44
Vera, foi isso mesmo que me aconteceu. Fui fazer exames de rotina e eis que a médica me diz que tenho suspeita de doença maligna.Fiz mais alguns exames e confimou-se que tinha cancro da mama.Já fui operada, tudo correu bem,e aguardo para fazer tratamentos de radioterapia. Não sei se terei pouco ou muito tempo de vida,espero que seja muito, mas ne minha lista a prioridade é tratar-me e viver o mais feliz possível com os meus familiares e amigos. Será egoísmo de minha parte? Eu que sempre ajudei os outros estou agora a precisar de ajuda.
Esse é um exercício fácil de fazer quando são só suposições mas quando a ficção vira realidade não é tão fácil. Até sempre. Zira
De C!rano a 1 de Maio de 2009 às 00:53

"Sopa de fadas"

Sinto...
não por sentir mas porque sinto
e mesmo a sorrir
minto
enfio a alma na panela
faço uma sopa de fadas com ela
e mexo e remexo
no lixo da minha favela

Penso...
não por pensar mas porque quero
e mesmo a sorrir
espero
liberto o espirito na tempestade
faço dele o grito puro da vontade
e mexo e remexo
no vazio da minha saudade

Recordo...
não por recordar mas porque recordo
e mesmo a sorrir
mordo
resgato o granizo que derrete na serra
espremo a doçura que a liberdade encerra
e mexo e remexo
no calor da minha terra

Amo...
não por amar mas porque recordo,quero e sinto
e mesmo a sorrir
pressinto
alcanço o supremo desejo da razão
faço dele a mais limpa ilusão
e mexo e remexo
no fundo do meu coração

C!rano

obs: Quero dedicar este poema á "Zira"..,a mulher que ensina a ajudar!
De Marina a 19 de Abril de 2009 às 17:00
Penso que todos/as já passamos por isso, directa ou indirectamente por situações desse tipo; por muio dificeis que sejam, são estes momentos que nos fazem sentir VIVOS! Eu modifiquei a minha vida por completo... resultado: vivo com paz de espírito e bem comigo própria e isso... reflecte-se nos outros!
De Ana a 23 de Abril de 2009 às 21:59
Realmente este post dá que pensar...
Parabéns por estar na tvi ,quando posso vejo sempre, cinco estrelas :)
De Fátima Gomes a 5 de Maio de 2009 às 18:43
Olá Vera!

É incrível !
A história repete-se, estou perdida, procuro uma resposta e venho ao seu blog...

Não me dá a reposta "escarrapachada" mas põe-me a pensar e se...

E... eu encontrei a minha resposta, viver..., viver intensamente, deixar fluir as emoções, mostrar aos que amo o quanto os amo, e que os seus defeitos por mais "" que sejam, é com eles que quero passar os 15 dias, os 6 meses, a vida inteira!

Obrigada Vera, mesmo!
De Fátima a 17 de Maio de 2009 às 17:37
E eu peço desculpas, por não ter resistido a dar resposta a tanta coisa sem nexo e ter alimentado este assunto...mas injustiças..
De esferafeminina a 17 de Maio de 2009 às 18:22
Nao tem que o fazer, Fátima, pq o intuito foi dos melhores, mas temos de pôr um travão nisto.
Um obrigada e um abraço fraterno.
De Leo a 20 de Maio de 2009 às 15:14
Olá, andei a vaguear na sua escrita e parei nesta. Irei fazer o "teste", que me parece muito interessante.......e depois dou a conhecer o resultado.
Muita Paz e Amor :)
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá, andei a vaguear na sua escrita e parei nesta. Irei fazer o "teste", que me parece muito interessante.......e depois dou a conhecer o resultado. <BR>Muita Paz e Amor :) <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Leo</A> <BR>

Comentar post

Quem sou eu

Desde sempre procurei respostas para as discrepâncias sociais e outras, existentes no mundo. Ainda continuo à procura, apesar de já ter uma vaguíssima ideia do que pode estar por detrás das aparentes desigualdades. Os Deuses não são injustos, o Universo tem uma Ordem que está para além do nosso entendimento. Tudo tem um sentido Maior. Os Deuses esperam-nos.

Acerca de mim

Vera Xavier
Taróloga desde 2002, trabalha como Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal, Reiki, Cura Quântica e Leitura da Alma. Ministra cursos de Meditação, Tarot e Reiki Magnificado.

Consultas & Cursos

Consultas de Tarot e Desenvolvimento Pessoal
Terapias de Reiki e Cura Quântica
Cursos de Reiki Magnificado e de Meditação (mensais) Rua Tomás Ribeiro, 45 - 7º, esquina com A. Fontes Pereira de Melo, Lumiar, Lisboa geral@veraxavier.pt Telefones: 931168496 www.veraxavier.com Vera Xavier

Cria o teu cartão de visita

Pesquisar neste blogue

 

Agenda de Cursos e outros Eventos

* Curso de Tarot (Lisboa)- 25 de setembro

* Curso de Tarot (Porto) - 27 de outubro

* Reiki Magnificado - 10 de novembro

* Reiki Magnificado II - Data a anunciar

* Workshop de Meditação 3 de novembro

Telm 931168496

veraxavier@veraxavier.com

Terapeutas Amigos

Cândida Loureiro - Terapia Quântica - SCIO
Contacto: 962 460 200

* São Figueiredo - Mestre de Reiki e Cura Quântica, Limpezas Energéticas e Alinhamento de Chakras, Telef: 919192918

Recomendo: Cursos

Nova Acropole
Curso de Filosofia do Oriente ao Ocidente A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações, em www.nova-acropole.pt

´ Centro Lusitano
O esoterismo de Fernando Pessoa
www.centrolusitano.org

Arquivos do blogue

Março 2015

Setembro 2012

Agosto 2012

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

blogs SAPO

subscrever feeds