Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Uma mini crónica de uma Taróloga.

 

Há uns tempos atrás recebi uma senhora que, possivelmente, nunca irei esquecer.
Esta consultante tinha mais de 70 anos, mas muito bem conservada, muito lúcida, e ela estava sozinha - após um difícil divórcio -, há tantos anos quanto eu tenho de idade, 38; divorciou-se em 1970! Parece que nessa altura decidiu ficar sozinha porque deixou de acreditar nos homens e nas relações afectivas. Hoje, esta senhora, apercebeu-se do tremendo erro e arrepende-se da opção. Hoje, com 70 anos, ela quer encontrar um companheiro, alguém com quem dividir e partilhar a vida.
 
Aquele relato foi para mim um murro no estômago, um despertar quase violento, do género: Vê lá como estás a gerir a tua vida pessoal!
Muito na sequência do último post a pergunta que se impõe a mim e a todos os que lêem este blog é: Temos parado para pensar naquele que é o sector mais importante da nossa vida? Temos dado o devido valor ao Amor? Temos sabido gerir as boas e más relações? Os tristes finais? Temos perdoado quem nos feriu? Temos libertado aqueles que optaram por outros caminhos? Mas mais relevante, estamos de bem com o Amor? Estamos de bem connosco, com a nossa consciência?
Misturamos “alhos com bugalhos”, temos a mente doente de tanta confusão! Estragamos sentimentos puros com questões insignificantes, com ninharias, com ciúmes, com inseguranças, com memórias do passado, com… é infindável o rol de asneiras que fazemos. E no fim, a verdade é que não somos felizes nem acompanhados nem sozinhos.
 
Este é um das minha bandeiras, até tenho medo de cansar com o mesmo discurso, mas… e se deixássemos de ser mariquinhas e vivêssemos com bastante mais intensidade? O que temos a perder? O coração? O coração não se perde, o coração não se parte! Se resultar, resultou, senão paciência, tentámos! Até onde podemos ir na nossa conquista? Será que tem que haver limites? (Respeitando sempre, claro, as decisões alheias.) Se tentássemos mais, provavelmente, teríamos grandes surpresas.
 
Ouço muita gente dizer: “mas eu quero, eu estou disponível”, mas a verdade é que esperam relações perfeitas e príncipes encantados. Não admitem que os outros possam ter defeitos, fragilidades. Querem ser amados mas será que amam?! Será que se entregam? Há pouco tempo alguém me dizia que só se entregava se sentisse do outro lado amor, segurança, mas se a outra pessoa não sente entrega, é evidente que também não se entrega! E assim se estraga mais uma potencial boa oportunidade!
Somos emocionalmente muito imaturos… seria bom que amadurecêssemos antes dos 70.
 
música: Silence - Delerium
publicado por esferafeminina às 23:40

link do post | comentar | favorito
107 comentários:
De luz a 25 de Setembro de 2008 às 03:01
Esta é uma grande realidade! Eu não tenho 70, mas tenho 48 anos e tenho horror à solidão. Hoje reconheço que estou só, exactamente pelo medo da entrega e por não acreditar. Sei que perdi algumas oportunidades de ser feliz, pelo medo de amar sem ser amada e por exigir a perfeição. Na realidade ninguém é perfeito, eu também estou muito longe de o ser. Quero muito mudar e dar uma oportunidade a mim própria de ser feliz, com alguém que embora não seja um príncipe encantado, me ame e respeite por aquilo que eu sou, mas para isso, sei que tenho que estar disponível para aceitar esse amor. Obrigada pela suas palavras, as suas crónicas ajudam-me a reflectir, naquilo que fui, no que sou e para onde quero ir... E sei que não quero acabar sozinha .
Um abraço para todos os que sofrem de solidão....

Luz
De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:30
Obrigada Luz, pelas suas palavras que se notam profundas.
De Vitorino a 6 de Outubro de 2008 às 01:12
Luz
Eu também estou sozinho, tenho 50 anos vivo na Grã-Bretanha , sou balança e licenciei-me em Historia. Em Portugal era professor em Setúbal
Se lhe interessar escreva-me.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Luz <BR>Eu também estou sozinho, tenho 50 anos vivo na Grã-Bretanha , sou balança e licenciei-me em Historia. Em Portugal era professor em Setúbal <BR>Se lhe interessar escreva-me. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>mvsroliveira@googlemail.com</A> <BR>Manuel Vitorino Oliveira
De Ferreira a 27 de Outubro de 2008 às 22:10
Luz
Normalmente o erro mais comum para se acabar por ficar só, pode ser o medo da entrega! e por não acreditar! mas acreditar no quê? no que realmente somos? no que realmente pretendemos da vida e de uma relação? Ou por não sabermos o que queremos da vida e fazer sofrer quem está do nosso lado dando sempre prova do que sente! será que não acreditaste porque nunca sentiste verdadeiramente o amor? ou talvez porque o que procuraste numa relação não fosse o amor mas sim o prazer de momentos na intimidade! o ser humano tem uma tendência natural para se "desculpar" da forma mais simples... "não tive culpa" "ele não me dava segurança" "ele era ciumento" será que do outro lado não está a dar azo a que todas essas questões tenham fundamento?
Para que o amor resulte há sempre dois vectores "pessoas" e ambas têm que sentir o mesmo!
Assim o amor vence sempre.

Ferreira
De luz a 28 de Outubro de 2008 às 00:42
Boa noite, Ferreira!
agradeço o seu comentário, não sei se é homem se mulher, mas também não interessa. A maioria das pessoas não estão sós por opção, salvo raras excepções. Os motivos que nos levam a esse estádio, tem várias origens, e por muito que queiramos vencer determinados traumas e fobias, nem sempre o conseguimos fazê-lo sozinhos. Ao longo da nossa vida, vamos aprendendo a ultrapassar tudo aquilo que nos limita à felicidade. Já aprendi que para se ser feliz, não é condição fundamental ter um homem, podemos dar amor a muita gente sem ter qualquer outra intenção para além da de o dar. Como humanos que somos, gostamos da recompensa....ou seja da partilha.... do dar e receber e é muito bom sentir o fluído do amor... Achei um pouco estranho a seu comentário, fala como se de mim algo soubesse...não culpo ninguém pelo facto de estar só, e nem estou infeliz por isso. Atingi o meu equilíbrio pessoal e sinto-me em paz com o mundo e comigo.
Sabe? Até para amar, é preciso aprender, muito se fala de amor, mas a maioria nunca o sentiram.
Felicidades para si!
Luz
De Ferreira a 29 de Outubro de 2008 às 00:39
Boa noite Luz! No meu comentário apenas quis alertar para o outro lado da questão!
Quantas vezes não somos egoístas ao ponto de olhar tão somente para o nosso umbigo!
Fazer, dizer, e ter atitudes que possam magoar os outros, todos nós já o fizemos!
dizem os entendidos que o ser humano é um ser que vive bem quando em sociedade!
E a questão que levanto é esta: - Que rumo está a levar a nossa sociedade quanto aos valores mais importantes como o respeito pelo próximo o respeito por nós próprios a honestidade a família?
Será que estamos a ter em conta tudo isso? Eu sou uma pessoa feliz! Feliz porque em tudo o que faço, faço com amor!
Mas em contra partida em meu redor vejo tanta maldade, falsidade, inveja que o melhor é estar só! Como diz o velho ditado “ mais vale só do que mal acompanhado”…
Muitas das vezes dou por mim a pensar… que este mundo deve estar louco!
Ou será o ser humano mesmo que está louco!
Louco, na sua busca constante do sucesso a qualquer preço? O sucesso profissional! Pessoal! E a família? Onde entra?
A ambição está a acabar com os valores essenciais ao bem estar de todos! A verdadeira paz! A paz necessária para se encontrar o equilíbrio e poder desfrutar de tudo o que a natureza nos deu… e de graça! E aí poderemos estar mais perto de podermos amar alguém porque nesse dia estaremos em paz connosco próprios, e receptivos ao amor de terceiros!
Discordo consigo quando diz que para Amar é preciso aprender, eu se me dá a liberdade de corrigir diria que só temos que aprender no amor a distinguir a linguagem simples e bela que este tem, e não falo de frases feitas!!! São gestos, carinhos, atenções, até o silêncio de um olhar cúmplice!...não! não é preciso aprender é uma capacidade intrínseca do ser humano, que pode começar por uma química, ou por uma aproximação de alguém e que se transforma em algo mais!
Quando referencia que a maioria das pessoas nunca o sentiram concordo consigo porque vivem numa busca constante de preparar o futuro e acabam por nunca ter vivido o presente e morrem sem ter tido passado...
Felicidades para si também Luz
Ferreira
Há! Já me esquecia… sou um Homem!
De Luz a 29 de Outubro de 2008 às 14:50
Olá, Ferreira!
é verdade que na vida todos nós já fomos magoamos e magoámos, intencionalmente ou não.
Fiquei triste com o seu primeiro comentário, e perguntei a mim própria porquê eu? Parecia que me julgava....no entanto o segundo, esclareceu alguns mal entendidos. Concordo com a maioria das coisas que afirma, é verdade que este mundo está louco, que não há moral, nem respeito pelo ser humano e principalmente que não se valoriza o que é essencial, a família.Todos nós contribuímos um pouco, para ter este mundo em que vivemos, felizmente, que ainda existem pessoas que se apercebem disso, só assim poderemos mudar esta tendência. No que respeita ao facto, de nós sermos egoístas, apostarmos na nossa carreira e esquecermo-nos daquilo que é fundamental, também é verdade, embora, também exista quem se dedique à carreira para esquecer o seu próprio drama familiar. Quero corrigir o que disse quanto ao ser preciso aprender a amar, na realidade o que quero dizer é que, embora se sinta o amor, pois os sentimentos sentem-se simplesmente porque existem, o que acontece é que a maioria não o sabe demonstrar, nem em forma nem em palavras....
Fiquei feliz por o saber feliz, e se assim o é, sorte de quem o tem a seu lado....
Cumprimentos.

Luz
De Diana a 25 de Setembro de 2008 às 03:14
Vera, escrevo-lhe com um enorme carinho porque acompanho o seu espaço há cerca de 3 anos e muitas vezes me tem feito "cair o queixo" com a precisão de certas cartas, que eu só lia ao fim do dia e detalhavam com precisão situações que havia de ter acautelado ou que haviam acontecido. Agora quando cá venho, sou sincera é para buscar força, estou numa situação muito complexa da minha vida e nem sempre as mãos conseguem ficar determinadas a segurar a corda... Quero dizer-lhe que admiro muito a forma como comunica, o seu talento para "traduzir" o que escreve colocando os sentimentos a acompanhar o significado das frases. Talvez nunca nos conheçamos, mas quero que saiba, Vera, que tem sido uma vela para mim. Obrigada.
De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:31
Muito obrigada Diana, pelo seu carinho e por nos acompanhar.
Um grande abraço.
De Diana a 25 de Setembro de 2008 às 03:17
(deixe-me esclarecer que o espaço que acompanho com regularidade e desde há 3 anos é a contribuição no sapo, vir aqui espreitar o seu blog, apenas o faço há pouquinho....)
De Fátima a 25 de Setembro de 2008 às 18:59
Somos Seres Completamente Imperfeitos

Somos seres completamente imperfeitos,
Que se julgam perfeitos,
Exigimos dos outros a perfeição dos 201%,
Quando nós ainda não atingimos os 50%,
Exigimos sem limites,
Sem saber o que realmente somos,
Sem saber quantas pedras tem meu caminho,
Sem saber como ultrapassar todas as barreiras,
Para te poder aceitar,
E ter-te sempre por perto,
A fazer parte de tudo aquilo que verdadeiramente sou.

Somos seres completamente imperfeitos,
Caminhando por este mundo louco,
Onde não consigo encontrar a cor do bater de meu coração,
Onde não sei se prefiro os tempos de solidão,
Se prefiro ter alguém por uns tempos,
Com quem compartilhar minhas imperfeições/perfeições,
No intervalo em que a vida cobre meus cabelos de branco.

Somos seres completamente imperfeitos,
Somos seres completamente insatisfeitos,
Somos seres sem qualquer noção do que queremos,
A não ser quando o arrependimento,
Bate na nossa porta sob forma de pergunta,
Será que vivi plenamente?
Será que não existiu arrependimento em meus dias?
Deuses como estive mergulhada na escuridão,
Quando me achava tão certa da minha liberdade.

Somos seres completamente imperfeitos,
Quando te julgo à minha imagem,
Quando busco medir meus sentimentos,
Pelos teus sentimentos.

Somos seres completamente imperfeitos,
Quando nos arrastamos pela vida,
Em vez de vivermos todos os dias,
Como se eles não fossem existir mais,
Como se a vida, não fosse mais frágil que chama ao vento.

Somos seres completamente imperfeitos,
A perfeição busco atingir,
Quando procuro meus defeitos em teus braços,
E torno-te mais um caminho em meus dias,
Em que tudo mereceu a pena ser vivido,
Até ao último segundo de todos os ventos,
Que por nós passaram.


Fique bem,

Fátima





De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:26
Fabuloso!
De Fátima a 19 de Novembro de 2008 às 21:21
Meras palavras, que juntas se tornam reflexões com QB de emoção!
Obrigada
De Mena a 27 de Outubro de 2008 às 14:10
Realmente fabuloso,diria mais...fantastico
De Fátima a 27 de Outubro de 2008 às 16:30
Obrigada Mena!

Fátima
De Sandra a 4 de Novembro de 2008 às 00:27
Fátima,
Você têm uma alma de poeta!
Realmente somos seres imperfeitos procurando nessa vida impermanente um pouco de perfeição.
Obrigada por compartilhar conosco seus pensamentos.
Sandra
De Fátima a 4 de Novembro de 2008 às 11:54
Obrigada Sandra!Mas se partilho os meus pensamentos, são de muito boa vontade e de alma leve, como deve ser todo o acto de partilhar. Fátima
De Cidália a 26 de Setembro de 2008 às 00:22
Boa noite!

Acompanho as suas previões e o blog há já algum tempo, mas nunca comentei ... hoje foi completamente irresistível. Revi-me nessa senhora de 70 anos e eu tenho "só" 29 ... quer dizer, já 29!!!
Assustador ... mas acho que continuo a acreditar, pelo menos quero acreditar que sim :)

Felicidades!!!
De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:33
Tem só que tirar esse "mas" hesitante do seu discurso, nao acha?
Obg & mta luz
De Cidália a 7 de Outubro de 2008 às 22:35
Boa noite!

Tem toda a razão ... este "mas" dá-me muito que fazer :) :)

muito obrigada e muita luz para si também!
De Luzinha a 26 de Setembro de 2008 às 22:46
Olá a todos!

Este texto faz-me pensar e, de acordo com o meu estado de espírito de hoje, talvez levante outras questões curiosas: "será que todos nascemos para ter relações duradouras e felizes?" "será que o facto de essa senhora aos 70 anos estar sozinha foi efectivamente uma escolha pessoal?" "Será que depende de nós? "É mesmo uma escokha pessoal estar sozinhos ou acompanhados?" " Será que somos nós deliberadamente que somos exigentes ou será que o nosso caminho estava assim delíneado?" "Será que existe caminho delineado'" tanta dúvida ...
Digo isto porque sendo capaz de olhar à nminha volta, tenho a capacidade de ver que um verdadeiro amor, uma verdadeira afinidade ou amizade não se procura, não se tenta...simplesmente acontece e depois, como é obvio tem que ser alimentada e trabalhada para crescer!
Hoje estou "sozinha" e, olhando para trás...acho que em cada porta aprendi uma lição mas se ela se fechou...não foi por falta de tentar...digo eu!
Com a última porta então...não foi uma questão de tentar ou não...havia uma grande harmonia, mas a natureza mostrou que algo não funcionava, nem nunca iria funcionar...ficou apenas uma amizade !
Será que afinal há um caminho que temos que percorrer para aprender lições e durante grandes períodos ou no seu final podemos ficar "sós",...não porque escolhemos...mas porque é mesmo assim!? Será?
Sempre ouvi dizer que o amor não se escolhe nem se procura...simplesmente aconteçe! Ou...afinal esta máxima está errada!?
Hoje estou um "bocado" (assim muito grande) confusa!! Deve ser a habituação ao Outono...! eheh
Apesar destas dúvidas todas não estou desesperada, nem triste (pelo menos ao ponto que costumava ficar). Acho que estou serena a viver o meu presente e futuro, aproveitando todo o Amor que a minha Familia e Amigos me dão e ainda aquele que o Mundo nos ofereçe tds os dias!...nunca estarei sozinha...
Beijo muito grande para todos e um especial para a Vera
E um louco fds
De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:29
IO nao ficar triste já demonstra um salto grande em termos de maturidade. E sim, há que aceitar as circunstancias.
Obrigada Luzinha, é sempre um prazer lê-la.
De Luzinha a 29 de Setembro de 2008 às 22:50
Obrigada pelo carinho e por esta oportunidade que nos dá de desabafar, trocar ideias, desejos, sonhos...enfim, o que nos vai cá dentro! Infelizmente nos dias de hoje já não há muito espaço para falar de sentimentos, mas este é um cantinho especial! Assim como especial é o comentário que se segue...parabéns ao c!rano! É muito bonito ler um homem que escreve assim!
Beijos
De c!rano a 1 de Outubro de 2008 às 00:50
Olá Luzinha:
não podia deixar de agradecer o facto de ter dado brilho ás minhas palavras,que no fundo,não são mais que os meus sentimentos.
è com grande prazer que me sinto lido por si(...se é que me permite usar essa sua expressão tão simples e bonita)e penso que deve saber que antes de ler os meus comentários já eu bebia dos seus.
Sei que faz muitas perguntas(só os bons se questionam) e sinto-me pequeno por não ter assim tantas respostas,no entanto,há duas coisas que sei e que vou agora partilhar consigo:
Sei que quando se está só até uma madrugada de Setembro é fria,e sei que com uma faca afiada a cebôla não faz chorar.

Um abraço do C!rano
(um refém de ilusões)
De Luzinha a 8 de Outubro de 2008 às 23:29
Olá C!rano

Eu não dei qualquer brilho às suas palavras! O brilho que elas têm vem todo do seu interior! Os seus sentimentos são brilhantes e iluminam semblantes mais pesados. Isso é muito bom!
Essa expressão do "...bebia dos seus seus" soa bem! (eheh)
Todo o ser humano tem um pouco de crédulo e um pouco de céptico, daí as dúvidas, todos nós as temos se pararmos um pouco a olhar para o mundo, para a vida, para o que nos rodeia, para nós próprios... Mas as dúvidas ou a falta de respostas não nos faz mais pequenos, mas sim mais lutadores pela busca de respostas.
Aí, aprendemos uma outra lição e descobrimos que afinal mesmo numa madrugada fria não faz frio porque o nosso coração está cheio e nem com uma faca por afiar a cebola faz chorar!
Beijo
De ana a 26 de Outubro de 2008 às 18:33
sou uma grande apreciadora da astrologia e ler todos estes comentarios deixam me a pensar e mt. ter um sitio onde se possa falar km tanta a vontade e mt bom. tou numa situaçao mt complicada e mt perdida. tenho alguem km quem tenho trocado sms, ele quer um encontro e eu tambem pois tenho mt medo,tou a sair d um divorcio e ele vive km alguem. AJUDEM ME A TOMAR UMA DECISAO
De c!rano a 27 de Outubro de 2008 às 00:16
Olá Ana...

Estar perdido é o estado natural do C!rano,por isso,receio bem que este não tenha as palavras de que precisa.
O Bombeiro pode-lhe dizer que,quando se está perdido,o melhor a fazer é ficar sossegado e esperar que o socorro venha(está nos manuais).
Já o homem..,diz-lhe que se está a sair de uma relacção falhada o melhor a fazer é não se meter n'outra antes de perceber que erros foram cometidos na anterior.Os seus erros..,porque os dele pouco importam.
O estranho..,esse..,apenas sorri,porque conhece bem o veneno adocicado da tentação.ele sabe que é um mecanismo de defesa que a alma tém para se lavar quando deixamos de o fazer.é como a sede que só a aventura pode matar.são farrapos que se juntam e nos convencém que são um fato.
Enfim..,o estranho sabe que amar nessas circunstâncias é como enfrentar o deserto com um copo de água na mão.

Que um deles a possa ajudar são os votos do C!rano
De ANA a 16 de Novembro de 2008 às 16:24
OLA C!RANO... DESCULPA ESTA AUSENCIA MAS NUNCA PENSEI K ALGUEM FOSSE LER O MEU DESABAFO... OLHA CONHECI ALGUEM K ME ESTA A FAZER MT BEM TA ME A FAZER SENTIR ME AMADA,RESPEITADA,SENTIR ME REALMENTE MULHER. C!RANO TOMEI UMA DECISAO VOU APROVEITAR A OPURTUNIDADE K A VIDA ME ESTA A DAR POIS QUEM SABE ESTARA AQUI A MINHA FELICIDADE. SOU MAE DE DUAS LINDAS CRIANÇAS K E NELAS QUE VOU BUSCAR FORÇAS. PK ELAS SIM SAO TUDO PARA MIM. BEIJOS.... OBRIGADO
De c!rano a 16 de Novembro de 2008 às 23:59
Boa noite Ana...

O C!rano percebe que há momentos em que temos que olhar por nós.
Que o futuro lhe reserve a maior das felicidades são os seus votos sinceros.

Boa sorte!

obs:há sempre alguém que lê os nossos desabafos.
De ana a 18 de Novembro de 2008 às 22:22
ola c!rano mt obrigado pelas tuas palavras sim e eu optei por seguir em frente se me magoar pelo menos nao poxo dizer k nao tentei. mais uma vez obrigado por leres os meus desabafos. qual a tua opiniao? beijinhos
De IRIS a 30 de Outubro de 2008 às 03:36
Boa noite Ana

Tenho boas e más notícias!!

Primeiro as más… se está perdida, só a Ana se poderá encontrar… ninguém poderá fazer isso por si.
As boas, é que é possível… é um processo de crescimento maravilhoso.

O divórcio é um acontecimento de retira parte da nossa estrutura, queiramos ou não. Deixa marcas profundas, independentemente das razões que conduziram à ruptura e independentemente de quem tomou a iniciativa.

Então o meu conselho é:
PARE
ESCUTE e
OLHE

Pare exactamente onde está, Escute a sua voz interior e Olhe para dentro de si.
Faça um curso de Reiki, pratique Tai Chi… faça algo por si, existem ferramentas que a podem ajudar a encontrar-se, a conhecer-se, a curar-se… Aproveite-as!!!
O Reiki proporciona uma vivência magnifica… a Vera ministra cursos de Reiki, contacta-la poderá ser uma excelente ideia.

A Ana sente-se perdida por causa dessa situação? Ou sente-se perdida porque ainda não se encontrou/reencontrou?
O divórcio deve ser seguido por um período de “luto”… diz a classe médica e quem já passou por um divórcio. Portanto!!!

Concordo consigo, este Blog é um cantinho muito especial...
Esperança, vai correr tudo pelo melhor…
Felicidades Ana
De ana a 16 de Novembro de 2008 às 16:15
ola iris desculpa esta ausensia mas sinseramente nunca pensei que alguem me responde se. parar e ouvir, e o que tenho feito ultimamente. sabes Iris conheci alguem k me tem feito sentir Mulher Amada,RESPEITADA TUDO O K DESEJAVA. MAS MAIS UMA VEZ NAO PODE SER MEU. MAS TOMEI UMA DECISAO,VOU APROVEITAR CADA SEGUNDO EM K POSSA REALMENTE SENTIR ME FELIZ... VOU SEGUIR OS TEUS CONSELHOS. MT OBRIGADO. BEIJOS
De c!rano a 27 de Setembro de 2008 às 16:31
"Dizem que se dorme muito quando não temos vontade de encarar a realidade.No meu caso,não querer encarar a realidade,tita-me o sono.
Enfim..,endorfinas.Coisas que viciam e que fazem parte de nós.O nosso corpo a produzir a nossa propria droga.A fuga controlada e o fascinio de saber que se pode acordar a qualquer momento.
Tudo isso está em nós.somos perfeitos.perfeitos demais para o sabermos.
Para mim,qual glutão de sensações,tudo depressa deixou de chegar.todo o processo das coisas demorava imenso tempo,o prazer imediato era a minha busca constante e a satisfação tão efémera como tudo o resto.
Vivia a vida a uma velocidade alucinante e achava sempre que ia devagar.Fazia muito e achava que poderia ter feito muito mais.Sentia,sentia e sentia e achava que era insensivel.
Numa tarde,mais-ou-menos como esta,exprimentei um misto de sensações que nunca antes tinha sentido:
SENTI-ME SÓ..!SENTI-ME VELHO..!-pior que isso-SENTI-ME ABANDONADO!
A apatia emocional instalou-se e ser Bombeiro também já não chegava.Precisava de dar mais porque a energia dentro de mim não dava tréguas.
Vi um miúdo Guineense na televisão com a cabeça presa a uma cadeira com contornos medievais.
Fiquei impressionado!
Comecei a ir ao hospital visitá-lo,levar-lhe um brinquedo,um sorriso.Brincar com ele um bocadinho e recordar-lhe que com cinco anos ainda se é criança.
Depois,a outra face da moeda:aprender que não há limite de coragem para um corpo,mesmo que franzino.temos a coragem que decidimos ter e somos tão velhos quanto nos sentimos.Isso ensinou-me o Issá!
Issá Baldé-o meu amigo Guineense que me resgatou dos braços da revolta e me colocou novamente nos braços da inoçência.A mesma inocência.Aquela que um dia me tiraram e nunca mais me devolveram.
Passaram oito anos e hoje,quando me sinto só,recordo a cadeira que prende o corpo mas não prende o espirito.A liberdade que só não temos porque decidimos acreditar no espelho.Recordo o meu amigo e sei que haverá sempre um sôpro de humanidade nas derrocadas que me atropelam.

C!RANO
(um glutão de sensaçôes)

ps: muitos parabéns a todos.Aqui viaja-se a grande profundidade emocional.
De esferafeminina a 28 de Setembro de 2008 às 21:38
Arrepiante o seu comentário, C!rano.
Já o outro anterior me impressionou.
Triste é vermos todos os dias imagens dessas na TV e já nem nos tocarem... É a banalização do sofrimento, da dor...
Muito obrigada e seja sempre bem-vindo a este espaço.
De c!rano a 29 de Setembro de 2008 às 02:22
Olá vera..,é com agrado que leio o seu comentário numa noite tão chuvosa e escura como esta.
Sabe..,na realidade,o mérito não está nas palavras escritas mas sim nas palavras lidas.as palavras são palavras;as pessoas são pessoas.Fôsse a Vera desprovida de sensibilidade e as palavras do C!rano não seriam mais do que rabiscos na paisagem.
A verdade é que não passo de um espelho que reflete aquilo que os meus olhos consomem.
Hoje sinto aquele cheiro a terra no ar que as primeiras chuvas de inverno trazem consigo.sinto aquela humidade envolvente que nos ataca os pulmões e nos perfura até ao osso.Mas mais fundo ainda,no oasis que construí dentro de mim,sinto um quentinho aconchegante por saber que existem pessoas que brilham no meio da tempestade.

Um grande abraço do C!rano
(um espelho de razões)
De Clara a 29 de Setembro de 2008 às 10:09
Olá a todos

Pois a Vera tem razão... eu tenho 37 e também me tenho sentido muito só.. mas a escolha não é minha..
Eu tb imagino o que será a minha vida daqui a 10 anos ( sou leão) e não estou à espera d enenhum prícipe encantado... só alguém com quem partilhar tudo... as triztezas e as alegrias enfim... a vida

Obrigado pelas tuas palavras
De Andreia L. a 2 de Outubro de 2008 às 00:03
Entendo os vossos desabafos. Revejo-me neles.
Gostava de ser do tipo: "Se resultar, resultou, senão paciência, tentámos! ". Normalmente quem assim segue, geralmente tem mais felicidades para partilhar do que arrependimentos ou tristezas.
Eu pessoalmente tenho um problema "diferente".... simplesmente estou só, porque tenho medo de ser feliz. Tenho medo porque acho quando observo pessoas felizes à minha volta, sinto uma energia tão bonita que tenho medo de descobrir que não é meu destino ser sentido sentir tamanha enegia. Por isso prefiro não fazer a "prova".
Porque algo me diz que estou neste mundo para ajudar o próximo e não para me ajudar a mim.
Gostava que assim não fosse, mas apesar de mtas vezes não receber gratidão pelo que faço peça outras pessoas, a sensação que sinto por ter ajudado o outro deixa-me feliz. A questão é que a minha alma esta a secar e começo a sentir necessidade de ser feliz através da ajuda, do amor de um homem. Mas como disse antes não acho que seja meu destino, por isso escondo-me do "relance" que determinada oportunidades lançam à minha vida. E fico bem quietinha como se nada se passa-se.

Sou mto complicada não sou!? :-)
Portanto, resumindo e baralhando, nada de mexer ou arriscar e fico quieta.
Obrigado por terem perdido tempo em ler este desabafo.

Andreia L
De Anil a 2 de Outubro de 2008 às 18:10
Parabens pelo blog! Tem sempre muitos ensinamentos para nos transmitir.
Obrigada.

Sim, seria óptimo amar com toda essa intensidade. Ás vezes não é fácil por causa dos nossos medos, outras simplesmente porque quem escolhemos para partilhar esse sentimento, afinal não está mesma onda que nós ou tem receio de estar e demonstar. É tudo tão complexo quando se fala de sentimentos. Muito mais é quando se fala de Amor. O amor para ser mesmo bonito e intenso necessita de dois e nem sempre somos correspondidos como queremos.

Identifico-me muito com o último paragrafo do seu post. Coloco-me muitas vezes essas mesmas perguntas... às vezes acho-me madura, e sou para algumas coisas, mas no respeitante ao amor... tenho muito ainda para aprender.

Quanto ao comentário da Andreia L, peço desculpa por discurdar de si. Eu também sinto que estou neste mundo para ajudar os outros, e mesmo amorosamente, sinto que é o que me tem acontecido, tenho os ajudado a eles e depois pergunto-me "E então e eu? Quem me ajuda a mim?"

Nós próprios temos que nos ajudar e acredite que quando menos esperar, depois de se amar a si mesma, de se ajudar a si mesma, vai ver que os outros também a ajudaram. Reflicta bem, veja se já não aprendeu muito com as pessoas que ajudou! Aposto que sim. E, o que é o aprendizado, senão uma ajuda. Todas as pessoas que passam por si ajudam-na a conhecer um pouco mais de si próprio, deles e do mundo em geral. Tornam-na mais forte.
Agora, saborei intensamente a ajuda que tem para oferecer, amando, e sentindo a alegria de fazer o bem ao próximo, e saberá que também é merecedora dessa energia bonita que vê as pessoas felizes sentirem à sua volta.
Se não se mexer, se não arriscar, se não experimentar o bom e o menos bom, vai passar o resto da vida a lamentar por o não ter feito. A vida deve ser vivida com intensidade (dentro dos limites de cada um claro).
Faça uma coisa por si se faz favor, a próxima oportunidade que lhe surgir, e que a sua intuição, ou mesmo desejo lhe disser, eu quero, mas tenho medo... enfrente o medo, seja mais forte que ele, e arrisque, prove a sensação, a adrenalina de se entregar a essa nova experiência que é agarrar uma oportunidade.
Sempre ouvi dizer que as oportunidades são para ser agarradas Agarre com as duas mãos aquela ou aquelas que mais lhe agradam. Vá à luta! Ai, sentirá na sua vida duas felicidades, a de ajudar os outros e a de se ajudar a si mesma. Vai ver que vai gostar.
De esferafeminina a 6 de Outubro de 2008 às 00:24
Andreia L, eu subescrevo inteiramente as palavras da Anil. Por favor, faça por si, senao daqui a uns anos temos outro caso de uma senhora de 70 anos sem grande esperança de ser feliz novamente.
Agora é o momento de mudar. Seja corajosa!
De IRIS a 2 de Outubro de 2008 às 19:47
Olá Andreia,
O seu comentário deu-me uma enorme vontade de falar consigo =)
É verdade… quem “arrisca” pode ter mais felicidade para partilhar, mas não quer dizer que também não tenha arrependimentos e mesmo muitas tristezas, a verdade é que quem “arrisca”, quem tenta… quer exactamente o mesmo que a Andreia – SER FELIZ!! É porquê??!! Simples, porque o ser humano é criado para ser feliz, está na sua natureza… faz parte da sua essência. Ah! E quanto ao seu destino, garanto-lhe passa por ser feliz… mas como disse algures, temos que ter predisposição para amar…
Eu costumo pensar e dizer o seguinte: Quando estiver face a face com Deus, a última coisa que quero dizer é, “não fiz, não aproveitei as oportunidades que me Ofereceste, porque tive medo…porque não tive coragem!” Se porventura eu tiver que dizer estas palavras, sinto, que falhei, falhei, perante o Universo e perante a minha Essência.
Outro ponto, que me revejo, é o facto de viver para os outros e não para se ajudar a si mesma. Desculpe Andreia, mas a minha vivência diz-me que isso é: ou ainda falta de alguma experiencia que a desperte ou é uma justificação, ou ambas! Porque eu também pensava o mesmo e viver sim em partilha com os outros mas também para nós, se não nos ajudarmos, como podemos ajudar o próximo?? É como a Andreia disse, secamos… e depois de secos??!! Ajudamos quem? Será esse o nosso destino? Recuso-me a aceitar…
Complicada?? =) Ó Andreia, somos todos, uns mais, outros menos, mas faz parte da natureza humana, a complicação! =) O nosso trabalho passa exactamente por descomplicarmo-nos internamente e espelhar isso nas nossas acções e na nossa vida, e pronto, acabávamos com os medos…
O medo é um monstro que criamos e pior, alimentamos… domina-nos e toma as rédeas da nossa vida, tornamo-nos seus servos, que coisa horrorosa, não é?? Porquê permitir isso??
Eu sou mãe e como mãe quero formar o melhor possível, a minha sementinha =) e como qualquer criança ela diz-me algumas vezes, - Mãe, tenho medo! E sabe Andreia algumas vezes eu já reconheço naquela frase uma desculpa para a falta de vontade, como um limitador às reais capacidades dela, que ela e como a maioria de nós desconhece ter!! A minha resposta é instintiva… e muito sentida, sentida pela urgência de não permitir que o medo a “ganhe” já na infância e digo-lhe muitas vezes de forma carinhosa, - Filha, o medo não existe.. não tens que sentir medo e a mama está sempre a teu lado e sabe que tu és capaz, tu és capaz de tudo, tu tens muita força, muita inteligência… e tu vais conseguir!! Outras vezes, sou um pouco mais directa e sem floreados, digo-lhe: NÃO DIGAS ISSO!!! Tu és capaz… não existe nada que tu não possas superar… os medos enfrentamos de frente!! Estamos entendidas?? =)
E de forma carinhosa Andreia, digo-lhe o mesmo … A Andreia é capaz, tem capacidade para superar tudo… o medo?? Não é nada, comparado com a grandeza que carregamos dentro de nós!! E com isto não quer dizer que eu também não tenha os meus medos… mas há que enfrenta-los de frente… certo? =)
Uma mulher com tanto Amor para dar, é injusto guardar tudo ai dentro e não partilhar, não acha?? =)
Beijo e até breve...
De Andreia L. a 2 de Outubro de 2008 às 21:57
Boa Noite!

Obrigado por terem lido o meu desabafo e por responderem ao mesmo.
Eu sei que o medo não leva a nada nenhum, concordo.
Concordo também que o facto de não me estar a ajudar a mim própria estou a deixar de conseguir ajudar os outros. A paciencia para conviver com outras pessoas é muito pouca. Quero fazer que isso mude sim. Mas é uma batalha complicada. E fazê-lo sozinha é difícil. E sou infelizmente orgulhosa o suficiente para não pedir ajuda a ninguém.

Estou a pouco mais de um mês de fazer 30 anos. E sinto que podia ter aproveitado mais a vida. Quando li o artigo da Vera por causa da senhora de 70 anos, imaginei que era eu. Podia ser, mas não quero ser. Nunca entreguei o meu coração realmente a nenhum homem, e quanto mais tempo passa mais dificil é de o fazer.
Era tão bom que pudessemos fazer uma lavagem à nossa alma e limpar o negativismo, o medo,.... MAs tenho que o fazer sozinha. Ainda n sei é mto bem como o fazer!

Mas sim Iris, tenho que deixar os meus medos para trás, aproveitar a vida que Deus me deu e que tenho desperdiçado.
Muitas vezes digo isto para mim própria e ando de cabeça mais levantada, mas à sempre qq coisa...
Enfim..... tenho que acreditar em mim.

Obrigado Iris pela força. Obrigado Anil pelo puxão de orelhas :-)

Bj
De IRIS a 4 de Outubro de 2008 às 21:26
Pois é Andreia...
Existem determinadas "coisas" ... parte da caminhada, o nosso crescimento que só nós podemos realizar, vivenciar, sem companhia... cabe-nos só a nós, e ai sim, é duro!!! Concordo plenamente contigo. Apesar de rodeados e acompanhados é a nós que nos compete realizar...
Li no outro dia no horospoco de alguem "Áquario" uma frase magnifica, Vera Xavier no seu melhor...

"O sucesso não se mede pelo que atingimos, mas sim pelos obstaculos que ultrapassamos pelo caminho"

Portanto Andreia... já viste como vais ser uma mulher de Sucesso???

Tudo de bom ... muita Luz e Amor...
E continua a acreditar em ti... e a sorrir...



De esferafeminina a 6 de Outubro de 2008 às 00:28
A sua força emocionou-me, Iris!
Obrigada pelas sua intensas palavras.
De IRIS a 10 de Outubro de 2008 às 11:29
Bom dia Querida Vera...
Realmente força, optimismo é algo que não me falta, tenho para dar e ...dar, o meu calcanhar de aquiles é mesmo a persistencia e a perseverança, apesar de ir observando e corrigindo à medida da minha capacidade e crescimento.
Exactamente o que diz hoje o meu horoscopo...

A mania que os Geminianos têm de fazer várias coisas ao mesmo tempo! E depois o que acontece? Pois, dispersam-se ...

Nunca é demais dizer: Adoro o "ar" que se respira neste cantinho.
Bem haja a todos vós, sem excepção.
De Miriam a 4 de Outubro de 2008 às 20:03
E muito interessante todas as paginas escritas acerca do amor...Creio que a entrega vai comecar quando percebermos que o amor vem de dentro para fora e primeiro que tudo temos de aprender a amar-nos. Isto pode ser demasiado seco ou ate soar a cliche masa a realidade e que o insucesso das nossas relacoes tem muito que ver com a maneira como nos relacionamos connosco mesmos. Boa Sorte com a caminhada.
De IRIS a 4 de Outubro de 2008 às 20:53
Boa noite Miriam…
Não é demasiado seco… nem cliché… é a mais pura das verdades!!!!
É fundamental, amarmo-nos… aceitarmo-nos… e sentirmo-nos bem na nossa própria presença, só assim podemos ter equilíbrio … que se irá reflectir numa relação a dois!!!
De dentro para fora… sem dúvida!!

Até breve!!!

Comentar post

Quem sou eu

Desde sempre procurei respostas para as discrepâncias sociais e outras, existentes no mundo. Ainda continuo à procura, apesar de já ter uma vaguíssima ideia do que pode estar por detrás das aparentes desigualdades. Os Deuses não são injustos, o Universo tem uma Ordem que está para além do nosso entendimento. Tudo tem um sentido Maior. Os Deuses esperam-nos.

Acerca de mim

Vera Xavier
Taróloga desde 2002, trabalha como Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal, Reiki, Cura Quântica e Leitura da Alma. Ministra cursos de Meditação, Tarot e Reiki Magnificado.

Consultas & Cursos

Consultas de Tarot e Desenvolvimento Pessoal
Terapias de Reiki e Cura Quântica
Cursos de Reiki Magnificado e de Meditação (mensais) Rua Tomás Ribeiro, 45 - 7º, esquina com A. Fontes Pereira de Melo, Lumiar, Lisboa geral@veraxavier.pt Telefones: 931168496 www.veraxavier.com Vera Xavier

Cria o teu cartão de visita

Pesquisar neste blogue

 

Agenda de Cursos e outros Eventos

* Curso de Tarot (Lisboa)- 25 de setembro

* Curso de Tarot (Porto) - 27 de outubro

* Reiki Magnificado - 10 de novembro

* Reiki Magnificado II - Data a anunciar

* Workshop de Meditação 3 de novembro

Telm 931168496

veraxavier@veraxavier.com

Terapeutas Amigos

Cândida Loureiro - Terapia Quântica - SCIO
Contacto: 962 460 200

* São Figueiredo - Mestre de Reiki e Cura Quântica, Limpezas Energéticas e Alinhamento de Chakras, Telef: 919192918

Recomendo: Cursos

Nova Acropole
Curso de Filosofia do Oriente ao Ocidente A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações, em www.nova-acropole.pt

´ Centro Lusitano
O esoterismo de Fernando Pessoa
www.centrolusitano.org

Arquivos do blogue

Março 2015

Setembro 2012

Agosto 2012

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

blogs SAPO

subscrever feeds