Quarta-feira, 30 de Abril de 2008

O Raio do medo!

Que pena é, que triste é, castrarmos as fortes emoções que sentimos ao ouvir uma boa música, por exemplo, ao olharmos para uma criança que sorri para nós abertamente. Que pena é ocultarmos aquele aperto no peito que sentimos quando acordamos ao lado da pessoa que amamos, que admiramos… Mas a pessoa acorda e nós não dizemos nada… O medo diz-nos “sabes lá o que ele/a vai pensar!” Mas o que importa isso?!? Não será o que nós pensamos que vale?
Vivemos miseravelmente presos aos bloqueios, aos traumas… são eles que comandam a nossa vida, se é que podemos chamar isto de vida. A maioria de nós subsiste, vagueia, flutua sem norte, sem objectivos. “Vai andando”, ouvimos nós dizer quando perguntamos, “como vai a vida?”.
 
Será que é isto que nos é proposto lá em cima, antes de descermos de novo à manifestação? Será que é isto que trazemos para fazer? É esta a nossa missão? Subsistir?
 
É verdade que estamos e que somos envolvidos neste emaranhado sem fim de ilusões, de alucinações, de filmes que são criados aqui na 3ª dimensão e na nossa mente. A rede está bem montada, é verdade, mas se alguns conseguem fura-la, porque é que os outros não conseguem?!
Porque não acreditam no Amor. Porque os seus corações não estão puros, porque as inseguranças e o raio dos medos os controlam. Temos medo de tudo. Temos medo de nós, por isso, atacamos os outros. Temos medo da vida, por isso, não aceitamos desafios. Temos medo da felicidade, por isso, viramos a costas às oportunidades com frases do género: “isto não vai dar certo.” Temos medo das vitórias, por isso, aceitamos aquele trabalhinho medíocre porque ali não há como falhar.
 
Há muito que deixámos de acreditar que podemos ser felizes… que podemos ser seres completos; bons profissionais, bons amantes, bons pais, bons políticos, bons professores, bons seres humanos. Escolhemos apenas uma delas e é quando é!
Deixamos de sonhar e de acreditar no nosso poder pessoal. Esquecemo-nos que podemos conquistar tudo! Podemos ser tudo! Podemos atingir estágios que nem imaginamos, e porquê? Porque não tentamos.
 
Porque renegamos a nossa Centelha Divina? Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, dizem, mas onde é que o sentimos? Onde é que nos pomos à prova? Quando é que acreditamos que somos deuses? Se somos filhos de Deus, então, somos também, deuses ou pelo menos semideuses.
 
Temos, todos os dias, a oportunidade de nos superarmos, de sair da “normalidade”, de criarmos, de sermos Maiores e melhores, mas fechamo-nos na nossa torre. E a cada dia, a nossa essência, a nossa estrela vai perdendo o brilho, vai escurecendo e ao invés de transformarmos o chumbo em ouros, fazemos o processo inverso, transformamos o ouro em chumbo… ao invés de evoluirmos, involuimos…

 
Como eu costumo dizer, ”os Deuses esperam-nos” e todos lá chegaremos, mas porque será que fazemos de tudo para atrasar este divino objectivo? Porque teimamos em trilhar caminhos que sabemos que não nos conduzem ao Alto?! Porque teimamos em não trilhar caminho nenhum?
Porque temos medo…

 
 
publicado por esferafeminina às 00:56

link do post | comentar | favorito
47 comentários:
De SR a 30 de Abril de 2008 às 09:57
Vera,
Este texto -talvez por ir directo a muitos dos meus pensamentos e crenças - é verdadeiramente inspirador!
Mal li as suas palavras, senti uma energia e uma emoção dentro de mim que só pode ser uma confirmação de que Deus está dentro de nós a reconfirmar, a cada passo, o nosso caminho.

Na minha (simples e modesta) opinião, sugeria que para além de todas as suas outras valências e competências, a escrita deverá ser uma área a que deve dedicar algum do seu tempo. A inspiração e a motivação que injecta nas suas palavras chega até nós (bom, pelo menos até mim...) de forma realmente sentida e genuína.

É sempre bom, para nós que andamos aqui na procura na nossa "missão" terrena, ter alguém que partilha esta forma de estar com tamanha eloquência e certeza.

Um grande bem haja,

Sandra
(sinto-me , ai, ai..inspirada)
De esferafeminina a 9 de Maio de 2008 às 00:39
Obrigada Sandra,
pelas suas palavras tao generosas.
Relativamente à sua sugestao, agradeço-a mas nem tempo tempo para gerir este blog
talvez mais tarde...
Bem haja e volte sempre!
De Gustavo a 30 de Abril de 2008 às 15:01
É verdade. Castramos as emoções e vivemos miseravelmente com bloqueios, traumas, etc. que nós todos criamos a nós mesmo e aos outros... Alguem confia no próximo? Duvido.. Alguem faz alguma coisa pelo próximo sem esperar nada em troca? Muito poucos... Dizemos que é a vida...Pois...Somos todos que a fazemos...
O Amor doi porque não gostamos de sofrer e a vida já é dura o suficiente e, mais uma vez, temos medo que nos magoem.
Deixamos de sonhar porque a realidade do dia-a-dia (problemas no trabalho, em casa, noticias de aumento de custo de vida, problemas humanitários, etc.) deixa-nos marcas profundas e levam-nos a pensar se vale a pena continuar a lutar. Sentimo-nos sozinhos num mundo e numa vida que não controlamos. Por mais que o tentemos. Temos medo. A culpa é de todos e reflete-se na nossa vida enquanto seres individuais. É a verdade. Temos medo. Tenho medo. De ser feliz!!! Mas, pelo menos, tento.

Abraços.
De esferafeminina a 9 de Maio de 2008 às 00:41
Isso mesmo, Gustavo!, tentraemos até ao fim!Obrigada pelo seu testemunho.
De Alberto a 18 de Março de 2009 às 12:41
É realmente triste a visão da humanidade hoje.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

É realmente triste a visão da humanidade hoje. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Onteontem</A> meu relacionamento terminou. <BR>E sempre tive uma visão sobre as coisas do coração e o amor, mas nunca via as pessoas citar ela em nenhum lugar como vi aqui, por isso sempre me achei como um estranho no mundo, por ter essa visão. <BR><BR>De tanto pesquisar pela internet sobre o assunto encontrei esse artigo que eu acho que se encaixa perfeitamente ao que eu tenho a dizer. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Eramos</A> um casal aparentemente perfeitos , nunca brigávamos , éramos incrivelmente muito parecidos, tão parecidos que pareciamos feitos um para o outro e sempre com muito respeito e carinho mútuo <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Tinhamos</A> apenas uma diferença, que essa fez realmente toda a diferença, ela era a razão e eu o coração. <BR>Não que ela não fosse uma pessoa capaz de amar, era apenas era controlada tinha medo de entrar de cabeça e medo de sofrer. <BR><BR>Ela decidiu por terminar e não tiro a razão dela, porque ela estava completamente certa em ter tomado essa decisão....ela se dizia ser incapaz de corresponder aos meus sentimentos...Se uma pessoa sequer acredita não adianta eles acontecem. <BR>Nunca achei que ela não gostasse de mim ou não sentisse nada por mim, senão não teria apostado em nosso relacionamento. <BR>Mas via todos os dias nos olhos dela esse medo.... medo de entrar.... medo de acreditar ...de acreditar que poderia ser feliz comigo que pudesse ser feliz com qualquer outra pessoa. <BR>Inúmeras vezes a alertei que o amor é algo sem sentido, não é algo que determinamos um momento para acontecer. Não é um interruptor de luz que quando queremos accionar , accionamos . Não acontece quando dizemos pronto! <BR>Não há hora, momento ou razão.... simplesmente acontece! <BR>E quanto mais nos envolvemos pela razão e como foi descrito acima "pelo medo de sofrer" ocultamos o sentimento mais puro e verdadeiro que Deus nos pode conceder que é o amor. <BR>Certas pessoas passam meses tentando descobrir como sentir tal sentimento por uma pessoa. Procurando um motivo para ter esse sentimento por ela, como uma forma de uma de merecimento “racional” para tal, mal elas sabem que caminham em sentido inverso. <BR>Quem um dia ama ou amou, sabe do que eu falo, sabe que não é assim que funciona. <BR>Porque as pessoas não apenas vivem cada momento como se fosse o ultimo? Porque não apenas acreditam que podem ser felizes? Que tudo simplesmente acontece! <BR>É como pára-quedas se não abrir, não funciona. Se não acreditamos na felicidade como poderemos ser felizes? Só podemos amar alguém sem medo de sofrer, caso contrário isso jamais irá acontecer. <BR>As pessoas se esquecem que para serem felizes não devem olhar a todo momento para cabeça e tentar encontrar as devidas razões para felicidade ou razões para amar, mas sim olhar para o coração. <BR><BR>Te digo hoje que acredito sim no amor... porque amo. <BR>Mas não acredito e estou totalmente desperançoso e desiludido com relação as pessoas e como caminha a humanidade, porque se vetam a esse sentimento tão puro, bonito e maravilhoso que é o Amor. <BR>E espero que um dia a pessoa que eu amo possa acreditar nisso, para poder viver comigo ou com qualquer pessoa para que seja muito feliz. <BR><BR>Fico feliz e ver que encontrei alguém que tem uma visão parecida. <BR><BR>Dedico isso a pessoa que amo. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ass</A> : Alberto <BR>São Paulo , 18 de Março de 2009 - Brasil <BR>
De Manuela Curado a 30 de Abril de 2008 às 15:37
E, quando já fomos assim, ou seja já acreditamos que com o nosso amor poderíamos ser melhores, que demos sempre mais e mais, que tivemos sempre um sorriso nos lábios , qd por vezes só nos apetecia chorar ... , quando tivemos sempre uma réstia de esperança, e o universo não nos amou da mesma maneira, que fazer então? Onde arranjar forças? Talvez seja isso que acontece com algumas pessoas, deram, deram, e nada mais tem ou querem dar, apesar de terem dado sem nada pedir em troca. Já não tem forças. Estão cansadas. Estão desencatadas. Que fazer qd isso acontece?
Um bj muito grande para si Vera. Que a sua força se mantenha sempre. M.Curado
De esferafeminina a 9 de Maio de 2008 às 00:43
Querida Manuela, nós queremos sempre algo em troca do nosso Amor, nem que seja im sorriso, um merecido sorriso.
Até no "dar" é preciso ter equilibrio... como já aprendeu...
Um bj para si, minha querida, e FORÇA!
De Ana Lima a 30 de Abril de 2008 às 15:59
Boa tarde,

Tenho sido um mera leitora deste blog, mas sem qualquer intervenção..mas de facto este texto sobre o medo...levou-me a reagir, por me identificar com o estado de espírito do medo..medo esso que nos castra diariamente, medo de arriscar, de falhar se sonhar o irreal.
De facto, desde que nascemos que vivemos rodeados de "não..não faças isso, olha que vais cair..etc..etc.." rodeados de pessoas que também não vencem os seus medos e por isso constantemente nos desencorajam dos nosso actos.
às vezes dá vontade de gritar um BASTA bem alto e pensar.....este medo não me assusta e e sei que vou vencer.... é fácil escrever, mas temos que ser surdos às palavras interiores que nos puxam no sentido para trás.

Gosto muito de ler este blog, embora não conhecça pessoalmente a Vera...quem sabe um dia destes!
De esferafeminina a 9 de Maio de 2008 às 00:45
Obrigada Ana Lima, espero que consiga sempre fazer frente as essas forças... aliás, senao formos nós quem o faz por nós? Pois é...
Um abraço, será sempre bem-vinda.
De fatimacopio@sapo.pt a 30 de Abril de 2008 às 17:18
Hoje Estou Sem Tempo

Hoje estou sem tempo,
Sem tempo para sentir medo,
Sem tempo para pensar,
No que me disseram para não fazer.

Hoje parei o relógio,
Quis ser apenas eu,
Quis ouvir apenas os meus pensamentos,
Os meus pensamentos,
Sem vestígios de medo,
Do que os outros poderão pensar de mim.

Hoje estou sem tempo,
Sem tempo para não dizer aquilo,
Que normalmente digo,
Aquilo que normalmente faço,
Apenas com tempo para dizer,
O que me vai na alma e no coração,
Apenas para dizer,
Que só este segundo,
Que só este Agora importa,
Para aquilo que neste momento,
Está a acontecer na Vida.

Hoje estou sem tempo,
Para desculpas esfarrapadas,
Para não fazer aquilo que gosto,
Para não escrever uma folha em branco,
Em busca de Esperança,
Em busca de Fé,
Em busca daquilo que sempre fui - Eu.

Hoje estou sem tempo,
Sem tempo para sentir medo,
O medo de a felicidade não ser aquilo,
Que sempre me alimentou a alegria de viver,
A alegria que sempre tornou,
Os meus dias maiores que a própria vida.

Hoje estou sem tempo,
Sem tempo para sentir o medo,
Que nunca me deveria acompanhar,
Nos passos que hoje deixo gravados na areia,
Em busca da paz das ondas do mar,
Em busca da face de Deus,
Em tudo aquilo que não é medo em nós.


Fique bem,

Fátima
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:42
Obrigada Fatima, é sempre um prazer lê-la!
De sniqper a 30 de Abril de 2008 às 22:30
Olá Vera,
...”Os Deuses esperam-nos”, que Deuses?
Os que nos fazem sofrer?
Os que nos tiram com a promessa do reino eterno?
Os que levam os Bons e deixam os Maus?
Desses sim, medo é palavra curta, certa é dizer-lhes a verdade...
Sofram vocês, que são Deuses, detentores da imortalidade, fustigando e ceifando os simples mortais... Que Deuses? Onde estão e quem são!?
De esferafeminina a 5 de Maio de 2008 às 01:23
Qualquer um pode zangar-se, pois isso é muito fácil. Mas zangar-se com a pessoa adequada, no grau exacto, no momento oportuno, com o propósito justo e de modo correcto, isso, não é tão fácil como isso.
Aristóteles

Peço-lhe snipqer, que serene o seu coração, doutra forma, nao conseguirá obter as respostas que procura.
Beijitos doces
De sniqper a 9 de Maio de 2008 às 21:44
Voltei de novo Vera...
Se existe algo na vida que deixei de praticar é gastar energia desnecessária, como tal não faz parte da minha vida a ira ou como diz estar ou ficar zangado, simplesmente analiso as questões e as pessoas envolvidas. Procuro soluções para o que vale a pena e ignoro o resto, simples.
Quanto ao meu coração Vera ele está bem sereno. Não para procuro respostas nem faço perguntas, observo. A realidade que conheço é a que descrevo no meu comentário anterior, pouco ou nada me interessa se existe outra vida se para isso tenho de morrer, e tantas são as vezes que até para morrer é preciso sofrer, certo?
Será essa a justiça dos Deuses? Talvez...
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:45
No dia em que deixarmos de ter dúvida, ou se passa algo de mt bom, ou de mt mau... Será a Iluminação ou desistência.
Fico deVeras contente por ter voltado.
De Aeon a 30 de Abril de 2008 às 23:09
Como entendo as tuas palavras :/
Quando olhamos com novos olhos para o que passou ... e para Quem passou por nós. ..
Fica a dor do pensar que poderia ter sido diferente e ... bem melhor. E era tão fácil, não é?!
Porque é que só temos uma visão nítida das coisas depois de cometermos os erros??
Quando se faz luz....vamos a ver: Oops! É tarde demais. :((
São lições dolorosas..
E sim, também dou por mim a existir por existir. Longe tão longe de quem me faz realmente falta e das actividades que me realizam. Why?
I don't know. Talvez seja o medo de ser feliz... :/
Ou o Ego?! :S
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:46
Que confusa é a vida, ou será que somos nós que a "confusionamos"? Grande pergunta, nao é Aeon?
De Alexandra a 1 de Maio de 2008 às 14:34
Ao vaguear , cruzei com este blog e não pude deixar de manifestar as minhas breves palavras. Em todos os tempos da sociedade, enquanto sociedade tal como conhecemos, os seres mantiveram o constrangimento perante o medo. Medo de tudo, medo por não serem verdadeiramente amados, medo por não terem o tal reconhecimento daqueles que privam e partilham as suas vidas, o medo de não serem glorificados perante terceiros pelos seus feitos. O medo, esse que impede cada um de nós a avançarmos com as nossas vidas, o medo que nos leva à impotência do nosso "SER". O medo de contrariarmos com as mentalidades, pré-concebidas de décadas, do "não" podemos fazê-lo, ou dizê-lo, ou não perante ou outros, o não perante a vergonha dos vizinhos, o que estes dirão, o não porque dizemos basta "não queremos viver" destas forma ou perante a "surrealidade" dos acontecimentos. O "não" perante a sociedade ridícula que vive à sombra da mentira. Tantos medos que pairam sobre nós e que por vezes, deixamos de ver-nos como ser que somos e o que pretendemos realizar nas nossas vidas. O medo de deixarmos de sentirmos medo. É superar o medo que nos invade a essência do nosso SER. Será a grande prova do nosso próprio Ser - superar o medo.

A Vera está de parabéns pelas palavras directas nas abordagens. Tenho acompanhado o seu trabalho como taróloga. O blog é fantástico nas abordagens dos temas mundanos.
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:47
Obrigada pelo seu comentário, Alexandra. Gostei mt.
Volte sempre, sim?
De dita a 1 de Maio de 2008 às 15:14
Olá! Está um lindo dia ! Todos se lembraram da velha tradição do dia da espiga? Espero que sim, não devemos esquecer as nossas tradições e... o saber do povo traz sempre algo consigo!
Sobre o medo! Eu sou o resultado do medo. Porque se fizer isto pode acontecer aquilo, não vás por aí que pode acontecer... não sei mesmo como consegui alguns triunfos na vida!
BR>Vera continue com estes textos que nos fazem reflectir sobre as nossas vidas! Obrigada continuo leitora atenta a si e aos comentários.
Abraços
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:48
Olá Dita,
já pouca gente se lembra dessas tradiçoes de raizes celticas. É pena...
Obrigada pela lembrança!
De Filipa a 1 de Maio de 2008 às 21:44
Porque é que há pessoas que dão, dão tudo , de mãos abertas. Dão sempre. Acreditam sempre nos outros e dão. Naceram Para dar e nada receber?
Desta vez aconteceu-me o mesmo mas de forma diferente, dei tudo, dei com toda a força e toda a ternura do mundo, a uma pessoa que mal conhecia mas que tinha a sensação de que conhecia Há muito tempo...essa pessoa quis tudo, sem forças para dizer que não. E, depois não quis nada...assustou-se com o tudo. Mas a sensação que ficou é que qualquer que seja a roda do destino essa pessoa permanece comigo. Mesmo dizendo que não, quase podia apostar que voltará...e eu não sou adivinha...o que é isto que eu não consigo explicar esta sensação de alma gémea, de predestinação, de pessoa que não se conhece bem mas é como se tivesse estado connosco toda a vida...que coisa estranha. Será horóscopo? Eu não entendo nada dessas coisas mas está a provocar um enorme sofrimento.
Ele já voltou duas vezes, três, dizendo sempre que não...e porque volta então?
não sei quem devo consultar e de que forma para tentar perceber isto. Se me pudesse ajudar eu gostava muito. Muito obrigada
De esferafeminina a 15 de Maio de 2008 às 01:50
Minha querida, este nao é um espaço para este tipo de perguntas, como pode reparar.
Se quiser marcar uma consulta, pf use os contactos.
Mta Luz

Comentar post

Quem sou eu

Desde sempre procurei respostas para as discrepâncias sociais e outras, existentes no mundo. Ainda continuo à procura, apesar de já ter uma vaguíssima ideia do que pode estar por detrás das aparentes desigualdades. Os Deuses não são injustos, o Universo tem uma Ordem que está para além do nosso entendimento. Tudo tem um sentido Maior. Os Deuses esperam-nos.

Acerca de mim

Vera Xavier
Taróloga desde 2002, trabalha como Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal, Reiki, Cura Quântica e Leitura da Alma. Ministra cursos de Meditação, Tarot e Reiki Magnificado.

Consultas & Cursos

Consultas de Tarot e Desenvolvimento Pessoal
Terapias de Reiki e Cura Quântica
Cursos de Reiki Magnificado e de Meditação (mensais) Rua Tomás Ribeiro, 45 - 7º, esquina com A. Fontes Pereira de Melo, Lumiar, Lisboa geral@veraxavier.pt Telefones: 931168496 www.veraxavier.com Vera Xavier

Cria o teu cartão de visita

Pesquisar neste blogue

 

Agenda de Cursos e outros Eventos

* Curso de Tarot (Lisboa)- 25 de setembro

* Curso de Tarot (Porto) - 27 de outubro

* Reiki Magnificado - 10 de novembro

* Reiki Magnificado II - Data a anunciar

* Workshop de Meditação 3 de novembro

Telm 931168496

veraxavier@veraxavier.com

Terapeutas Amigos

Cândida Loureiro - Terapia Quântica - SCIO
Contacto: 962 460 200

* São Figueiredo - Mestre de Reiki e Cura Quântica, Limpezas Energéticas e Alinhamento de Chakras, Telef: 919192918

Recomendo: Cursos

Nova Acropole
Curso de Filosofia do Oriente ao Ocidente A Sabedoria Viva das Antigas Civilizações, em www.nova-acropole.pt

´ Centro Lusitano
O esoterismo de Fernando Pessoa
www.centrolusitano.org

Arquivos do blogue

Março 2015

Setembro 2012

Agosto 2012

Abril 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

blogs SAPO

subscrever feeds